Terapia financeira

A Terapia Financeira, oferecida pela Clínica de Economia Comportamental em Brasília, tem por objetivo acolher e apoiar indivíduos em todas as crises originadas no superendividamento. Ou o contrário, crise de superendividamento motivada por outros problemas de comportamento. O objetivo, entretanto é um só: o restabelecimento do equilíbrio humano e financeiro e da qualidade de vida.

Muitas são as evidências que a nossa relação com o dinheiro não é assunto de interação da economia apenas com a psicologia. Ele é multidisciplinar e as causas e efeitos se alternam. Ou seja, o que é efeito para um caso pode ser causa para outro. Assim, diversas são as origens do problema e, também, o seu impacto sobre os diferentes aspectos existenciais das pessoas.

Nesse contexto, desenvolvemos um protocolo de assistência integral, implementado por uma equipe multidisciplinar, contando com profissionais das áreas de Saúde Mental, Psicologia, Filosofia, Economia, Finanças Pessoais e Advocacia.

A Terapia Financeira, dada a realidade financeira e o equilíbrio das pessoas superendividadas, à complexidade dos problemas decorrentes e a fragilidade em que se encontram essas pessoas, produzirão melhores resultados se aplicada em três formatos: Terapia Financeira Individual, Terapia Financeira Corporativa e Terapia Financeira via Grupos de Ajuda Mútua.

TERAPIA FINANCEIRA INDIVIDUAL

Já no primeiro momento, profissionais especializados em questões de comportamento, relacionamento e equilíbrio humano, serão responsáveis pela recepção, acolhimento e troca de informações para conhecimento do problema, bem como as causas, os efeitos e a sua dimensão. A partir daí, no âmbito da educação e planejamento financeiro, um economista ou financista pode ser escalado para ensinar um indivíduo, uma família ou um grupo a organizar de maneira adequada as entradas e saídas financeiras, na busca do restabelecimento do equilíbrio e na definição de estratégias na busca da prosperidade. Nesta etapa o envolvimento dos filhos e de outros membros da família, é de fundamental importância. Este é um momento onde o Terapeuta Familiar poderá ser um profissional muito útil ao processo.

Ao mesmo tempo, a equipe de profissionais estará sempre atenta na identificação de outros fatores que possam ter contribuído para o agravamento da situação. Aqui o objetivo é evitar a instalação de um círculo vicioso.

Nesse processo, pode ainda ocorrer indicações de outras terapias. Dois casos foram comuns ao longo da experiência da Clínica. O primeiro tem a ver com o estar em um mundo de constantes e velozes mudanças, que gera crises de significados, de pânico, de identidade e muitos medos. Essas são situações onde o Filósofo Prático tem uma importante atuação. O outro caso, aliás, muito frequente na mídia, é a compulsão por compras, definida como Oneomania. Distúrbio comum, mas não muito conhecido, faz com que o portador faça compras para sentir alívio momentâneo, como o que ocorre quando se ingere álcool ou outras drogas. Trabalho e atendimento da competência de Psiquiatras e Psicólogos.

Neste ponto o indivíduo já terá se encontrado e visualizado as saídas. Está na hora então de aprender a gerir as suas finanças, investir as “sobras” e dar mais atenção aos termos dos contratos que voltará assinar.

Como vivemos em uma sociedade que não ensina a planejar e controlar o uso dos recursos, nem como se prevenir das “armadilhas” contratuais, surge a necessidade de se lançar mão dos conhecimentos do Planejador Financeiro e do Advogado. É chegada a hora de organizar programas de planejamento e gestão das finanças pessoais e de renegociação e quitação das dívidas. Enfim, recuperar a qualidade de vida e a credibilidade junto ao mercado.

TERAPIA FINANCEIRA CORPORATIVA

Há muito as organizações vem enfrentando uma permanente elevação dos custos e perdas em produtividade, em decorrência dos problemas de alcoolismo e drogas no ambiente de trabalho. Nos últimos três anos surgiu um novo e devastador problema: o superendividamento. Ele pode levar ao agravamento dos dois já existentes, mas o seu efeito imediato se manifesta a partir de uma forte queda na produtividade das pessoas. Já se fala em índices de até 15% em grandes corporações.

Por se tratar de trabalho coletivo e corporativo, bem como importante suporte aos programas de qualidade de vida, a Terapia Financeira Corporativa, pode ter três configurações: 1) atendimento unicamente pessoal; 2) através de formação de grupos internos de ajuda mútua; 3) atendimento pessoal com formação de grupos internos de ajuda mútua. Isto não significa uma ordem de realização do atendimento, pois a configuração adequada dependerá da decisão da corporação, a partir da análise dos resultados coletados em questionários aplicados às pessoas selecionadas.

A Terapia Financeira Corporativa começa com uma palestra geral de conscientização, com conteúdo focado no endividamento e nas suas consequências danosas para as pessoas, famílias e organizações. Serão apresentadas também algumas ferramentas e ensinamentos sobre gestão de finanças pessoais.

Se o formato de atuação for a configuração número 1, a etapa inicial segue os mesmos preceitos da Terapia Individual.

No caso da opção recair na configuração número 2, o trabalho segue um roteiro de atividades e metodologia de execução especial. Os grupos terão apenas quinze participantes, trabalharão em reuniões semanais de duas horas de duração, pelo período de nove semanas. Cada reunião será dedicada ao estudo de temas específicos, trocas de experiências e vivências entre os participantes e contará com o apoio de profissionais do time de terapeutas. Tanto os assuntos abordados quanto o intercâmbio de vivências e experiências, estarão assentados em conhecimentos e práticas de Filosofia de Vida, Como Você Se Relaciona com o Dinheiro, Planejamento e Organização das Finanças Pessoais, Renegociação e Quitação de Dívidas, Como Evitar Recaídas e Poupar Rumo à Prosperidade, Qualidade de Vida e outros que se afigurarem de importância complementar para o grupo.

Quando esta for a opção, o trabalho será executado a partir da combinação das configurações 1 e 2.

TERAPIA FINANCEIRA VIA GRUPOS DE AJUDA MÚTUA

Tem por objetivo reduzir custos, tornar acessível a um maior contingente de pessoas e facilitar a alocação de tempo.

A Terapia Financeira via Grupos de Ajuda Mútua, também começa com uma palestra geral de conscientização, com conteúdo focado no endividamento e nas suas consequências danosas para as pessoas, famílias e organizações. Serão apresentadas também algumas ferramentas e ensinamentos sobre gestão de finanças pessoais.

Os grupos terão apenas quinze participantes, trabalharão em reuniões semanais de duas horas de duração, pelo período de nove semanas. Cada reunião será dedicada ao estudo de temas específicos, trocas de experiências e vivências entre os participantes e contará com o apoio de profissionais do time de terapeutas. Tanto os assuntos abordados quanto o intercâmbio de vivências e experiências, estarão assentados em conhecimentos e práticas de Filosofia de Vida, Como Você Se Relaciona com o Dinheiro, Planejamento e Organização das Finanças Pessoais, Renegociação e Quitação de Dívidas, Como Evitar Recaídas e Poupar Rumo à Prosperidade, Qualidade de Vida e outros que se afigurarem de importância complementar para o grupo.